Temperatura Basal

Hoje vou falar aqui um pouco sobre a temperatura basal e a forma como ela pode ser uma aliada para as mulheres que pretendem engravidar. Muitas mulheres têm ciclos irregulares, o que torna difícil perceber quando será a ovulação. Outras, têm ciclos regulares mas alguns ciclos são anovulatórios, ou seja, não existe ovulação. O registo da temperatura basal, nestes dois casos, é especialmente útil.
Vejamos porquê.

O que é temperatura basal

Em primeiro lugar vou explicar o que é a temperatura basal, já que há uma grande confusão acerca deste conceito. A Temperatura Corporal Basal é a temperatura que o corpo tem em repouso; mede-se ao acordar, antes que a pessoa realize qualquer tipo de actividade física. Ou seja, mede-se a temperatura do corpo mesmo antes da pessoa se levantar da cama...! Este ponto é fulcral e só a obediência a esta regra básica permitirá obter resultados fiáveis.
Para ter absoluta precisão, a temperatura deveria ser medida em repouso absoluto. Mal se acorda, mesmo medindo imediatamente, a temperatura já está ligeiramente mais elevada do que é, efectivamente, em repouso. Por isso é tão importante medir logo que o despertador toca, de preferência, sempre à mesma hora, antes de sentar na cama, falar ou beber...
A temperatura a medir é a oral ou a axilar (ou seja mede-se a temperatura na boca ou debaixo da axila). É importante dormir pelo menos 4 a 6 horas para poder registar estes valores com eficácia. Só um sono regular permite fiabilidade de resultados.

Como pode ser utilizada para determinar a ovulação

Depois de ter ocorrido a ovulação (cerca de de 24 a 72 horas depois), a temperatura do corpo da mulher eleva-se cerca de 0,3 a 0,8 graus centígrados em relação à temperatura registada anteriormente, mantendo-se elevada até à menstruação. 
No entanto, quando a temperatura se eleva é tarde demais para ter relações sexuais nesse ciclo com o intuito de engravidar. Como vimos no artigo O óvulo só pode ser fecundado durante 24 horas, o óvulo sai do ovário quando atinge a maturação (ovulação). Mas, se este não for fecundado nas primeiras 24 horas  após a ovulação, entra rapidamente em deterioração. Ou seja, quando a temperatura corporal basal sobe - cerca de 24 a 72 horas após a saída do óvulo do ovário - o óvulo já não está em estado de poder fecundado  - já está em deterioração.

Então para que serve a temperatura basal?

Muitas mulheres julgam que só devem ter relações sexuais com o intuito de engravidar após a subida da temperatura basal. Na verdade, esse é o método contraceptivo, ou seja, aquele que permite EVITAR uma gravidez. Não tendo relações sexuais no período após uma subida de temperatura de cerca de três dias e a menstruação, garante-se que não será possível engravidar nesse ciclo. 

Como pode servir para quem quer engravidar?

Muitas já ouviram falar no registo da temperatura basal. Pois bem: se registarem a temperatura basal sempre  antes de se levantarem, ao longo de vários ciclos, vão poder determinar a altura do ciclo em que a ovulação costuma ocorrer.
Assim, uns dias antes da data prevista, começam a ter relações sexuais, em dias alternados, para engravidar; mantenham os "treinos" até dois dias depois da data prevista para a ovulação.
Reveja:
Ter relações dia sim dia não durante o período fértil para engravidar

Ou seja a temperatura basal é um grande aliado na determinação da altura em que a ovulação ocorre. É uma boa ferramenta de análise do ciclo de uma mulher.

Para mulheres com ciclos regulares mas em que nem sempre ocorre ovulação
A temperatura basal também é uma aliada para verificar se houve ou não ovulação naquele ciclo. Mulheres com ciclos regulares mas em que nem sempre ocorre ovulação (anovulatório) podem, desta forma, verificar se a ovulação ocorreu ou não. Se a temperatura sobe por mais do que quatro dias seguidos, muito provavelmente, a ovulação ocorreu.

Para mulheres com ciclos irregulares
Mulheres com ciclos irregulares podem começar a "treinar" para engravidar logo após a menstruação mantendo os treinos até ao dia em que é registada a subida da temperatura. A forma mais correcta é:

  1. identificar o tamanho de ciclo mais curto dos últimos seis meses;
  2. subtrair 17 dias ao tamanho total; o resultado indica o dia em que se devem começar os "treinos";
  3. manter os "treinos" até ao dia em que regista a subida da temperatura.
Vamos a um exemplo para tornar as coisas mais claras: Se o ciclo mais curto dos últimos 6 meses foi de cerca de 24 dias:
24-17=7

Isto significa que a mulher deve começar a treinar no 7º dia de ciclo e manter os treinos até registar a subida da temperatura.

A temperatura basal é uma boa aliada para evitar ansiedade e a desilusão de um teste de gravidez negativo

Ao saber a altura em que ocorreu a ovulação, sabe-se assim, de forma muito aproximada, quando será a data prevista para a menstruação. Esta ocorrerá cerca de 14 dias após a ovulação. Desta forma, a mulher poderá saber, com bastante exatidão, o  dia previsto para o regresso da menstruação evitando, assim, que a mulher fique muito ansiosa, pensando que está atrasada, quando, na verdade, apenas tinha ovulado mais tarde do que o previsto...
Assim, evitar-se-à muita ansiedade e testes de gravidez negativos - especialmente no caso de mulheres com ciclos irregulares que, muitas vezes, não sabem o dia previsto para o regresso da sua menstruação. 

Problemas de fiabilidade deste método

A temperatura corporal de uma mulher está sujeita a muitas variações e poderá não ser fácil distinguir a subida da temperatura provocada pela ovulação de outras subidas de temperatura provocadas por: constipações (ou resfriados em Português do Brasil), viagens, bebidas alcoólicas, noites mal dormidas ou até perturbações emocionais... Por esta razão, é desaconselhado o uso deste método, como forma de contracepção em adolescentes.
Reveja também Erros de identificação do período fértil


NOTA: Se não quer engravidar use anticoncepcionais como a pílula ou preservativo.