Você já pensou congelar seus óvulos?

Você já pensou alguma vez em congelar os seus óvulos?
Muitas clínicas de fertilidade oferecem essa possibilidade hoje em dia...  Mas os especialistas não são unânimes: muitos afirmam que não há ainda garantias de que após a descongelação o óvulo possa gerar uma gravidez.
As clínicas de reprodução,no entanto, garantem que as chances de uma gravidez a partir de um óvulo congelado são já de 40% e que, num futuro próximo - com a evolução rápida do conhecimento que se tem registado nesta área - a percentagem poderá ser muito superior.

Nem todas as mulheres têm consciência das situações em que pode ser usado este procedimento.

Para que serve o congelamento de óvulos?

Na verdade, há várias situações em que as mulheres podem pensar em congelar os seus óvulos:

  1. Quando a mulher pretende preservar a sua fertilidade;
  2. Quando a mulher vai ser sujeito a algum tratamento (como quimioterapia e radioterapia, por exemplo) que pode ter implicações na sua fertilidade
  3. Quando há um historial familiar de menopausa precoce;

1- Quando a mulher pretende preservar a sua fertilidade

Hoje em dia, muitas mulheres dedicam os anos mais férteis da sua vida (18 aos 28 anos) à sua carreira profissional, adiando a maternidade. No entanto, após os 35 anos a capacidade reprodutiva da mulher diminui consideravelmente. A razão é simples: a mulher não produz novos óvulos: ela nasce com todos os óvulos que terá disponíveis durante a sua vida. Ao longo do tempo, esses óvulos vão perdendo qualidade e deixam de poder gerar uma gravidez com sucesso. Congelar óvulos pode ser uma forma de adiar a maternidade até mais tarde, preservando todas as qualidades dos seus óvulos no momento da recolha. É uma forma de preservar as características do óvulo que, a partir daquele momento, não envelhece mais. Por exemplo, uma mulher pode decidir recolher os seus óvulos com 28 anos e congelá-los para poder usá-los dez (ou mais) anos depois, para gerar uma gravidez com sucesso.
Congelar os óvulos também pode ser uma opção quando, por exemplo, uma mulher com cerca de 35 anos ainda não encontrou o seu par ideal e pretende preservar a sua fertilidade para poder ser mãe mais tarde.

2- Quando a mulher vai ser sujeita a algum tratamento

A quimioterapia e a radioterapia afetam a capacidade reprodutiva da mulher. Por isso, muitos oncologistas, quando tratam mulheres em idade fértil, sugerem o congelamento dos seus óvulos.
Estes tratamentos, por vezes, provocam infertilidade ou menopausa precoce. Pode ler mais sobre este assunto no site da Liga Portuguesa contra o Cancro.

3- Quando há um historial familiar de menopausa precoce

Se uma mulher tem na família alguns casos de menopausa precoce, isto é, mulheres que entram muito cedo em menopausa, o congelamento de óvulos pode ser uma solução que permita a essas mulheres ter um filho numa idade mais tardia.

Controvérsia

Ainda há muita controvérsia sobre esta matéria mas a verdade é que mais e mais clínicas oferecem este serviço. OS próximos anos serão cruciais para esclarecer alguns pontos sobre o assunto.

Você já curtiu o Ficargravida.com no Facebook?

Consulte a lista completa de artigos do blog e encontre a informação de que necessita mais rapidamente!
LER O ARTIGO COMPLETO ►

Vitaminas pré-concepcionais - o que deve tomar se quer engravidar

Já falei muitas vezes aqui no ficargravida.com sobre a importância de tomar ácido fólico dois meses ANTES de começar a tentar engravidar.
Mas com as novas recomendações da Organização Mundial de Saúde, há cada vez mais ginecologistas que receitam também outros suplementos, como o iodo e o zinco por exemplo, que comprovadamente, também têm implicações no processo reprodutivo. 
Tendo em conta estas novas preocupações, surgem agora no mercado as vitaminas preconceptivas: num só comprimido, conseguimos as doses diárias dos suplementos necessários para este importante momento: a altura em que preparamos o nosso corpo para receber o nosso bebé. Um dos exemplos é o NatalBen preconceptivo.

Estas vitaminas contêm uma dose de ácido fólico, vitamina B12, vitamina D, zinco e iodo.

Vamos ver para que serve cada um destes suplementos?

Ácido fólico:
O suplemento de ácido fólico diminui muito o risco de defeitos na formação do tubo neural (uma das mal-formações mais comuns). 
Este tubo forma-se logo no início da gestação, antes mesmo da mulher saber que está grávida, por isso, é necessário que a mulher tome suplementos de ácido fólico dois a três meses antes de começar as tentativas para ter um filho. Neste momento a indicação é de 400 mcg/dia, o que corresponde a 200% da dose diária recomendada (por isso é que tão difícil conseguir as mesmas doses só através da alimentação).
Nos EUA, todas as mulheres em idade fértil tomam ácido fólico regularmente, tendo em conta que nem todas as mulheres planeiam a gravidez.

Zinco:
A deficiência de zinco pode levar a mal formações, um crescimento uterino deficiente ou até a infertilidade.

Para mais informações sobre este assunto pode consultar o estudo conjunto de Uriu-Adams e Keen do Departamento de Nutrição da Universidade da California.

Iodo
A Organização Mundial de Saúde, desde 2013, recomenda a suplementação de iodo durante a fase de pré-concepção, gravidez e amamentação. O iodo é essencial durante a gravidez para a maturação do sistema nervoso do feto e, consequentemente, ao normal desenvolvimento a nível neurológico do feto. 
O feto é especialmente vulnerável ao défice de iodo  na primeira fase da gravidez, daí a recomendação para que as mulheres comecem a tomar suplementos de iodo antes mesmo da gravidez.

Vitamina B12 

A vitamina B12 é essencial para a divisão celular, processo através do qual se forma o embrião!

Vitamina D
A vitamina D é essencial para o período anterior à concepção e primeiro mês de gravidez. É também essencial à fertilidade feminina. O corpo da mulher necessita de vitamina D para manter os níveis de cálcio e de fósforo necessários para a formação dos ossos do bebé e também dos seus dentes!

Não esqueçam: a consulta pré-concepcional e os suplementos são garantia de uma gravidez mais saudável!
Recomendamos a leitura de:

Quando começar a tomar ácido fólico?
Consulta pré-concepional
O que fazer antes de começar a tentar engravidar


Autora: Margarida Braga

Você já curtiu o Ficargravida.com no Facebook?
LER O ARTIGO COMPLETO ►

"Posso engravidar logo a seguir à menstruação?" PODE...!!

Muitas mulheres pensam que os dias seguintes após a menstruação são, por norma, dias inférteis, ou seja, dias em que não é possível engravidar. Tantas e tantas vezes (até em sites que se dizem sobre fertilidade!!) aparece a informação de que é muito pouco provável engravidar 2, 3 dias após a menstruação ter terminado... Ainda que isso possa ser verdade para um grupo de mulheres, para outras tantas não é! Não podemos ser todas colocadas no mesmo saco!

Como saber se posso engravidar 2 ou 3 dias após a menstruação? 

Para saber a resposta certa à questão "posso engravidar 2 ou 3 dias após a menstruação?" é importante considerar o tamanho do ciclo e também a duração da menstruação. Mulheres com ciclos curtos (entre 21 e 26 dias) têm grande probabilidade de engravidar nos 2 ou 3 dias após a menstruação.
Se não sabe o tamanho do seu ciclo consulte Identificar o tamanho do seu ciclo menstrual

Repare:
 - uma mulher que tenha um ciclo curto de cerca de 23 dias, por exemplo, terá uma ovulação por volta do 9º dia de ciclo... o que significa que entrará no período fértil por volta do 6º dia de ciclo...(logo, pode engravidar 2 ou 3 dias após a menstruação sim!);
 - já no caso de uma mulher com um ciclo menstrual de 29 dias, por exemplo, ela terá a sua ovulação por volta do 15º dia de ciclo, por isso, entrará no período fértil por volta do 11º dia  (logo é pouco provável que engravide 2 ou 3 dias após a menstruação...)

Recomendamos a leitura de: Período Fértil explicado tim-tim por tim-tim

Percebe? Não dá para generalizar! Não dá para dizer pode ou não pode engravidar sem saber estes dados primeiro...!
Eu, por exemplo, Margarida Braga, editora deste blog, entro em período fértil imediatamente após a menstruação porque tenho um ciclo relativamente curto (de 25 dias) mas uma menstruação longa ( de 6, 7 dias)... O que significa que a minha ovulação ocorre, por norma, ao 11º dia... Logo, ao 8º dia de ciclo (no dia seguinte ao término da minha menstruação) já estou entrando no período fértil. Ou seja, 3 dias após a menstruação eu estou no pico da minha fertilidade!! Por isso, não sei se hei-de rir ou gritar quando leio essas informações que dizem que não se pode engravidar 3 dias depois de menstruar!

Se quer saber quando é o seu período fértil consulte a nossa Tabela do Período fértil.

Tenha cuidado com alguma da informação disponibilizada na Internet! Não caia em generalizações porque cada mulher tem o seu tamanho de ciclo... Nem todas têm ciclos de 28 dias!
Calcule bem o seu período fértil!
Visite a nossa secção sobre o Cálculo do período fértil!
Boa sorte
Você já curtiu o Ficargravida.com no Facebook?


LER O ARTIGO COMPLETO ►

Tabela do Período Fértil

Elaborei, para as leitoras do FicarGravida.com, uma tabela fácil de consultar para que possam identificar o vosso período fértil e ovulação!
Para começar a usar, basta saber o tamanho do seu ciclo menstrual. 

Se não sabe (ou não tem a certeza) de como se conta o tamanho do seu ciclo leia:

Identificar o tamanho do ciclo menstrual

(não esqueçam que o ciclo menstrual começa no primeiro dia da menstruação e acaba no dia anterior ao regresso da menstruação seguinte!! O 1º dia de ciclo é o 1º dia da menstruação.)

Tamanho do ciclo
Dia mais provável de ovulação
Ovulação pode ocorrer entre
Período fértil
23 dias
9º dia de ciclo
7º e 11º dias de ciclo
Entre o 5º e o 12º dia de ciclo
24 dias
10º dia de ciclo
8º e 12º dias de ciclo
Entre o 6º e o 13º dia de ciclo
25 dias
11º dia de ciclo
9º e 13º dias de ciclo
Entre o 7º e o 14º dia de ciclo
26 dias
12º dia de ciclo
10º e 14º dias de ciclo
Entre o 8º e o 15º dia de ciclo
27 dias
13º dia de ciclo
11º e 15º dias de ciclo
Entre o 9º e o 16º dia de ciclo
28 dias
14º dia de ciclo
12º e 16º dias de ciclo
Entre o 10º e o 17º dia de ciclo
29 dias
15º dia de ciclo
13º e 17º dias de ciclo
Entre o 11º e o 18º dia de ciclo
30 dias
16º dia de ciclo
14º e 18º dias de ciclo
Entre o 12º e o 19º dia de ciclo
31 dias
17º dia de ciclo
15º e 19º dias de ciclo
Entre o 13º e o 20 dia de ciclo
32 dias
18º dia de ciclo
16º e 20º dias de ciclo
Entre o 14º e o 21º dia de ciclo
33 dias
19º dia de ciclo
17º e 21º dias de ciclo
Entre o 15º e o 22º dia de ciclo
34 dias de ciclo
20º dia de ciclo
18º e 22º dias de ciclo
Entre o 16º e o 23º dia de ciclo
35 dias de ciclo
21º dia de ciclo
19º e 23º dias de ciclo
Entre o 17º e o 24º dia de ciclo
Acima de 36 dias ou abaixo de 23 dias
Consulte o seu ginecologista para regular o seu ciclo menstrual.

Boa sorte!!
Consulte a lista completa de artigos do blog e encontre a informação de que necessita mais rapidamente!
LER O ARTIGO COMPLETO ►

É possível engravidar amamentando?

Uma das dúvidas mais comuns das mamães é se podem ou não engravidar enquanto estão amamentando. As nossas avós passaram-nos esta ideia: enquanto se está a amamentar não se consegue ou pode engravidar... Será que é assim mesmo?

A verdade é que se tem que ter algum cuidado porque é possível engravidar, sim! Uma mulher que amamenta tem menos chances de engravidar, é verdade. Mas pode acontecer...

A 1ª ovulação ocorre antes da 1ª menstruação pós-parto

A maioria das mulheres acha que não consegue engravidar enquanto amamenta porque não está menstruando.
De facto, após o parto, a mulher durante um período (que pode variar bastante de caso para caso) não menstrua. Como não menstrua, pensa que não está a ovular, logo, que não pode engravidar.
Mas o problema é que a primeira ovulação vai ocorrer ANTES da primeira menstruação!! Ou seja, cerca de duas semanas antes daquela que vai ser a sua primeira menstruação pós-parto, você vai estar fértil... e muito provavelmente nem vai saber!
É nesta fase que muitas mulheres engravidam, quando acabaram de ser mães há 2 ou 3 meses...


Relação entre amamentação e fertilidade

A mulher ficará fértil quanto menor for a frequência das mamadas do bebé. Em princípio, uma mulher que amamenta exclusivamente o seu filho e em livre demanda, isto é, que alimenta o seu bebé apenas com o seu leite sempre que o bebé pede, terá uma probabilidade de engravidar muito reduzida - cerca de 2%. No entanto, esta percentagem depende de muitos factores como a frequência da mamada, o tempo da mamada e características individuais da própria mulher... Logo é falível.

Se a mulher não amamenta exclusivamente, isto é, se utiliza fórmulas que complementam a amamentação, poderá tornar-se fértil novamente mais cedo.

Outra situação que poderá influenciar nesta fase é a frequência das mamadas à noite. Muitos bebés começam a dormir toda a noite e, por isso, não são amamentados nesse período. Nesta caso, a mulher, mesmo amamentando exclusivamente e em livre demanda, poderá também começar a ficar fértil.

Cuidados anticoncepcionais após o parto

Considerando estas questões, a mulher deve, por isso, iniciar um método contraceptivo quando reinicia a sua actividade sexual após o parto. Existem pílulas próprias para quem está a amamentar (não servem as pílulas 'normais'.). Mas muitas mulheres, preferem usar o preservativo (camisinha) nesta fase: ou porque não querem que o seu bebé tenha contacto com esses químicos através da amamentação (sempre passa alguma coisa através do leite) ou porque nesta fase são incapazes de tomar a pílula como é devido (diariamente e sempre à mesma hora), uma vez que o normal cansaço as faz esquecer a toma da pílula.

Portanto, se não pretende engravidar, proteja-se e não confie na suposta infertilidade da mulher que amamenta!

Consulte a lista completa de artigos do blog e encontre a informação de que necessita mais rapidamente!
LER O ARTIGO COMPLETO ►

Guia da treinante

Já publicamos aqui no ficargravida.com muita informação dirigida às treinantes.
Como a informação está dispersa em vários artigos, resolvemos criar um Guia da treinante! Neste Guia estão listados os principais artigos escritos neste blog dirigidos aos casais que estão a tentar conceber um filho.

No Guia da treinante do ficargravida.com encontra informações muito importantes que todas as treinantes devem ler!



  1. Um truque para calcular o período fértil
  2. O Período Fértil explicado tim-tim por tim-tim
  3. O dia da ovulação não é o dia mais fértil
  4. Dicas para aumentar a fertilidade masculina
  5. Muco Cervical: um aliado na identificação da ovulação
  6. Temperatura Basal
  7. O óvulo só poder ser fecundado durante 24 horas
  8. Verdades e mentiras sobre o período fértil
  9. Identificar o tamanho do ciclo menstrual
  10. Método de arborização: identificação do período fértil pela saliva
  11. Calcule o seu período fértil
  12. Como calcular o período fértil no caso de ciclos irregulares
  13. Ovulação é no 14º dia de ciclo ou não?
  14. Quando é que chega a altura de consultar um especialista em infertilidade?
  15. Para as nossas leitoras que não querem engravidar
  16. ALERTA: Quem toma indutor deve fazer acompanhamento com ultrassonografia
  17. Combinação de "Uxi amarelo" e "unha de gato" NÃO aconselhada a treinantes e grávidas!
  18. Teste de gravidez: quando fazer e como funciona
  19. Vida de Treinante: como manter o ânimo!
  20. Parar a pílula para engravidar: implicações 
  21. Consulta pré-concepcional
  22. Quando começar a tomar ácido fólico?
  23. Vitaminas pré-concepcionais
  24. Treinantes e toxoplasmose
  25. O que é nidação? Como pode ser identificada?
  26. Quantos dias o espermatozóide sobrevive dentro da mulher?
  27. Quanto tempo uma mulher demora a engravidar?
  28. Teste a qualidade dos espermatozóides em sua casa
  29. Ter relações sexuais dia sim, dia não durante o período Fértil para conseguir engravidar
  30. Ficar deitada após a relação sexual ajuda a engravidar?
  31. Preparar a Gravidez

Consulte a lista completa de artigos do blog e encontre a informação de que necessita mais rapidamente!
LER O ARTIGO COMPLETO ►

Miomas: o que são e porque podem prejudicar a fertilidade da mulher

O que é um mioma?

Mioma é um tumor benigno que afeta o útero (a probabilidade de um mioma se tornar maligno é extremamente baixa: cerca de 0,05%). 

Quem tem mais propensão para ter miomas?


A ciência ainda não conseguiu determinar as causas do mioma mas sabe-se que algumas mulheres têm mais propensão do que outras para ter esse problema:

  • mulheres com historial familiar de miomas: o mioma parece ser um problema hereditário. Por isso, se a sua mãe, tia ou avó tiveram esse problema seria melhor referir ao seu ginecologista esse facto desde cedo; 
  • mulheres de raça negra: o mioma parece ter também uma prevalência maior na raça negra, ainda que a ciência não tenha encontrado uma explicação para esse facto; 
  • mulheres que não tomaram pílula: a pílula parece exercer um efeito protetor porque ao inibir a ovulação (isto é, ao evitar que ovulação ocorra) protege o útero da sobrecarga de estrogênio em cada ciclo menstrual. Se há um historial familiar de miomas, a mulher deve começar a tomar a pílula ainda adolescente para evitar a sua formação; 
  • mulheres com excesso de peso: o tecido gorduroso é um depósito de estrogênio, o que aumenta o risco de mioma, câncer de mama e câncer do útero; 
  • mulheres que não tiveram filhos até aos 35 anos


Quais são os sintomas do mioma?

O mioma, em cerca de 50% dos casos, é assintomático, ou seja, não provoca nenhum sintoma! Mas mulheres que têm miomas sentem por vezes um dos seguintes sintomas: 

  • cólica menstrual forte (incapacitante, que não passa mesmo com medicação);
  • sangramento aumentado;
  • dificuldade em engravidar ou infertilidade;
Mas muitas mulheres não têm qualquer tipo de sintoma e só descobrem que têm um mioma quando experimentam dificuldade em engravidar ou quando fazem um exame de rotina.

Os sintomas também dependem muito da localização do mioma...



Localização do mioma

Os miomas podem-se desenvolver na parede interior do útero (submucoso), dentro da parede uterina (intramural) ou na parede exterior do útero (subseroso).

Mioma submucoso

Se o mioma estiver dentro da cavidade uterina (submucoso) é natural que o fluxo menstrual aumente e que haja perdas de sangue fora do período menstrual... Nestes casos aumenta também a possibilidade de anemia por causa da perda de sangue (que pode ocorrer durante o ciclo inteiro).

Mioma intramural

Se está localizado dentro da parede uterina (intramural), o sangramento ocorre apenas durante a menstruação mas normalmente durante mais dias do que é normal. Em média, a menstruação da mulher dura entre 3 a 5 dias. Quando há um mioma dentro da parede uterina o sangramento pode durar 8 ou 9 dias com um fluxo sanguíneo aumentado.

Mioma Subseroso

Existe ainda o mioma que se forma na parede exterior do útero (subseroso): este tipo de mioma é assintomático, isto é, não tem sintomas (nem dor, nem perdas de sangue).


O tamanho dos miomas pode variar muito desde o tamanho de uma uva até ao tamanho de uma bola de futebol de salão e pode chegar a pesar 2 a 3 kg!  A maioria das mulheres tem miomas pequenos porque são diagnosticados atempadamente, antes de crescerem (o mioma tem um crescimento lento).

O mioma, mesmo se for pequeno, se for localizado na parede interior uterina, pode provocar dores fortes!


Diagnóstico e tratamento

Para detetar a presença de um mioma é necessário fazer apenas uma ultrassonografia (ecografia, em português de Portugal). Deve ser o ginecologista a fazer a interpretação do resultado.

O médico pode optar por não fazer um tratamento e fazer apenas o controle regular por ultra som. Se o mioma aumentar então há que fazer um tratamento com um anti-estrogênico para que ele diminua.
O médico pode optar também por fazer a embolização do mioma, um procedimento em que se bloqueia o vaso sanguíneo que alimenta o mioma (evitando, assim, que ele continue a crescer).

Também se pode intervir cirurgicamente:

  • miomectomia: cirurgia em que se retira o mioma por completo;
  • histerectomia: cirurgia de retirada do útero.


É raro a mulher ter um mioma antes da primeira menstruação e, normalmente, com a menopausa, os miomas tendem a diminuir ou até a desaparecer (porque diminuem alguns níveis hormonais, em especial o estrogênio). 

O mioma impede uma mulher de engravidar?

O mioma é um problema muito mais comum do que imaginamos. Estima-se que mais de metade das mulheres a nível global tenham este problema! Há especialistas que defendem até que há mesmo uma incidência de até 80%! Conhecendo estes números é fácil perceber que a maioria dos miomas não traz problemas de fertilidade, ou seja,  não impedem uma mulher de engravidar.
Aliás, no que toca à infertilidade, os miomas dizem respeito apenas a 3% dos casos registados.

Os miomas que comprovadamente reduzem as hipóteses de uma gestação são os miomas submucosos, ou seja, aqueles que, como vimos atrás, se localizam na parede interna do útero. Isto acontece porque este tipo de mioma, como vimos, provoca muitas perdas de sangue, impedindo assim o endométrio de se preparar para receber o óvulo fertilizado.
Em algumas situações, miomas intramurais mais volumosos podem também gerar alguns problemas ao distorcer a cavidade uterina. 
Os miomas subserosos muito raramente atrapalham a fertilidade da mulher.

Sugerimos:


Você já curtiu o Ficargravida.com no Facebook?

Consulte a lista completa de artigos do blog e encontre a informação de que necessita mais rapidamente!
LER O ARTIGO COMPLETO ►

Unha de gato e Uxi amarelo

Se é tentante, com certeza que já ouviu falar do uxi amarelo e da unha-de-gato...!
A combinação dos dois chás tem propriedades curativas reconhecidas em relação a miomas, ovário policístico, endometriose, infecções no útero e irregularidade menstrual, por exemplo, que os tornam muito populares entre mulheres com estes problemas. Muitas tentantes (mulheres que querem engravidar) têm utilizado os chás de Unha de gato e de uxi amarelo para limpar o seu corpo das causas que impedem ou dificultam a sua tão desejada gravidez.

Por esta razão, eu, Margarida Braga,  decidi que seria necessário pesquisar mais informação sobre este assunto. O artigo é longo... Por isso dividi-o em várias partes (leia todas com muita atenção!):
  1. Os chás de unha de gato  e Uxi amarelo estão cientificamente comprovados?
  2. Discussão: Tentante deve ou não tomar?
  3. Toma dos chás combinados com medicação
  4. O que é Unha de gato?
    • Sabia que a unha-de-gato é contraceptiva?
  5. O que é o uxi amarelo?
  6. A combinação dos dois chás
  7. Receita dos chás em uso combinado 

1- Os chás de unha de gato /Uxi amarelo estão cientificamente comprovados?


A utilização destes chás de forma combinada é reconhecida popularmente para as situações já referidas no início deste artigo. Existem muitos casos de sucesso que o comprovam! Mas cientificamente, apesar de alguns indícios e estudos preliminares que parecem sugerir que os chás têm de facto estas propriedades enunciadas, ainda não existe comprovação científica da sua aplicação. Isso não quer dizer que estas curas não sejam verdadeiras ou que seja mentira que estas plantas tenham, de fato, essas propriedades. O que quer dizer é que não há ainda estudos que comprovem esta situação.
Para que as propriedades de uma planta sejam aceites na medicina têm que existir vários estudos que comprovem os benefícios da sua utilização. Há estudos em andamento sobre esta matéria mas, ainda, sem resultados comprovados. Enquanto isso não acontecer, a utilização destes chás continuará, apenas, no campo, da medicina popular.


2 - Discussão: Tentante deve ou não tomar?

Alguns ginecologistas recomendam a sua toma, enquanto outros se mantêm céticos quanto à sua utilização! Aqueles que estão contra o uso dos chás mostram-se preocupados pelo facto de não haver ainda testes toxicológicos em relação a estas plantas ou temem que as mulheres substituam tratamentos cientificamente comprovados para tratar estes problemas pelos chás!
A sua utilização está contra indicada na gravidez e aleitamento... Por isso, alguns especialistas defendem que, se a mulher quer engravidar, pode tomar os chás para limpar o organismo mas, depois, deve fazer uma pausa até começar as tentativas para conceber um bebê!

Sugerimos a leitura de : Combinação de uxi amarelo e unha-de-gato não aconselhada a treinantes e grávidas

A razão desta dúvida levantada por alguns profissionais prende-se com o  facto dos chás terem um efeito citotóxico e o efeito das fortes propriedades de reforço do sistema imunitário causadas pela unha-de-gato pode gerar alguns problemas com o feto.
As tentantes ouvem muitas histórias de sucesso (mulheres que conseguem engravidar) depois que tomam estes chás... Por isso, aceitar essa ideia não é fácil! Mas se há um risco para o bebé, por mais pequeno que seja, não acha que vale a pena fazer a pausa após a toma dos chás para tentar engravidar?

Ou seja, a cura tem que ser feita em três fases:
- primeiro há que limpar  o corpo do problema que está dificultando a gravidez;
- depois, há que fazer um tempo de pausa;
- finalmente pode começar as suas tentativas para engravidar!

Fale com o seu médico ou nutricionista e aconselhe-se! Lembre-se que nunca deve tomar nada automedicado, mesmo que seja de origem natural!

3 - Tomar os chás com medicação

Se quer tomar os chás de unha de gato e uxi amarelo e está a tomar algum medicamento, pergunte sempre ao seu médico se pode tomar estes chás complementarmente com a medicação em causa. Não adianta pensar: 'são naturais, não faz mal a nada'... Os produtos naturais têm os seus componentes específicos também, tal qual os medicamentos e químicos! E estes podem entrar em choque com outros que estão sendo administrados pela medicação.

Como exemplo (e só como exemplo, porque existem mais), estes chás estão contra indicados em crianças menores de 4 anos, pessoas que fizeram transplantes de órgãos ou medula, enxertos de pele, que estão em terapia de imunossupressão, em caso de esclerose múltipla e tubercole. Por isso, muita atenção! Se tem algum problema de saúde ou está a tomar alguma medicação (mesmo que seja para tratar os mesmos problemas que você quer tratar com os chás!) pergunte ao seu médico se está contra indicado ou não!

Vamos então tentar perceber em que consiste cada uma dessas plantas.

4 - Unha-de-gato

Nome científico: Uncaria tomentosa 
O unha de gato é uma das plantas mais famosas da Amazônia. É uma trepadeira e pode atingir 30 a 40 metros! 

As capacidades terapêuticas do unha de gato são imensas! É da casca e/ou raiz que se extrai a parte utilizada para fazer o famoso chá de unha de gato!

As infusões feitas com esta planta têm propriedades anti-inflamatórias, analgésicas, fortalecem o sistema imunológico, têm um efeito depurativo (limpeza) e diurético. A unha-de-gato é também conhecida pelos seus princípios activos de mitrifilina e ricofilina para tratamento de doenças de cancer (cancro, em Português de Portugal). É também usado pelas suas propriedades anti-virais (nos tratamentos de hepatites a, b e c, por exemplo).
Também pode ser tomado em forma de cápsulas.
Se comprar unha de gato para fazer o chá assegure-se de que está a comprar esta espécie: Uncaria tomentosa. Existem outras espécies de unha de gato  que não têm as mesmas propriedades.

Mas sabia que a unha-de-gato é contraceptiva?

É verdade!! Aposto que por essa você não esperava!! Muitas tribos usam a unha-de-gato como contraceptivo natural. Mas, para isso, deve ser tomado em dosagens altas... (Mas senão quer engravidar não confie só na unha-de-gato porque os resultados são muito falíveis!)
Doses altas, podem provar também alterações intestinais ou náuseas.

5 - Uxi amarelo

Nome científico: Endopleura uchi 
O uxi (também chamado de uxipuçu) é uma árvore que pode atingir grandes proporções (até 30 metros de altura) existente na Amazônia.
Para fazer o chá que o tornou tão conhecido utiliza-se a casca.
O uxi é utilizado para auxiliar no tratamento de miomas uterinos, irregularidade menstrual, infecções uterinas e urinárias, cistos, entre outros. Tem propriedas anti-inflamatórias, antimutagênicas, antioxidantes, antivirais, depurativas (limpeza), hipotensoras, imunoestimulantes, etc!
Também pode ser tomado em forma de cápsulas.

6 - A combinação dos dois chás

É extremamente popular no Brasil a combinação das infusões de uxi marelo e unha de gato, especialmente para o tratamento de miomas. Há várias relatos de cura mas, como discutimos em cima, ainda sem comprovação científica. 

Mas porque é que tradicionalmente se combinam o uxi amarelo e unha de gato? Porque se quer combinar o poderoso efeito anti-inflamatório da unha de gato com as propriedades curativas de úteros problemáticos do uxi amarelo! Mas não é fazer um chá com as duas plantas misturadas, como muitas mulheres fazem. O que se deve fazer é tomar o chá de uxi amarelo de manhã e o chá de unha-de-gato de tarde... 

7 - Receita dos chás de uxi amarelo e unha de gato

Deve-se tomar meio litro de chá de uxi amarelo de manhã e meio litro de chá de unha de gato de tarde.
Não faça mais quantidade do que aquela que necessita para esse dia. Se o armazenar, o chá vai perder as suas capacidades terapêuticas.

Chá de Uxi amarelo:
Deite uma colher de sopa de casca de uxi (o mais triturada possível) em meio litro de água. Leve ao fogo e deixe ferver. Assim que o chá ferva, coloque na potência mínima e deixe ferver mais dez minutos, com a panela tapada.
Retire do lume e deixe repousar cerca de 10 minutos com a tampa colocada! 
Coe bem todo o chá.
Está pronto a servir!

Chá de Unha de gato:
Deite cerca de 10 a 15 g de casca ou raiz de unha de gato em meio litro de água. Deixe ferver e coloque na potência mínima por mais 10 minutos. Retire do fogo e deixe repousar por mais 10 minutos com a panela tapada!
Coe todo o chá. Está pronto a servir!

Leia também: O que precisa saber para engravidar!

Você já curtiu o Ficargravida.com no Facebook?


LER O ARTIGO COMPLETO ►

Caso de Sucesso: Por Maria Lúcia

Esta é a história de Maria Lúcia, um caso extraordinário de uma luta de 10 anos para engravidar! Após duas gravidezes tubárias, ela se confrontou com uma realidade pela qual nunca esperou: para concretizar o sonho de ser mãe, ela teria que fazer uma FIV! Foram muitos anos de luta, mas Maria Lúcia nunca cruzou os braços e sempre acreditou que seria mãe. Hoje, ela é uma mãe feliz, realizada e criou um grupo de apoio para ajudar outras mulheres que estão a passar pela mesma situação! Maria Lúcia é um exemplo de força e perseverança!

Lembrem-se que, vocês também podem ter a vossa história publicada aqui nesta rubrica "Um Caso de Sucesso". Enviem os vossos textos através do formulário. Os textos serão analisados pela editora do ficargravida.com, Margarida Braga. As melhores histórias serão selecionadas para publicação. 
Leia o regulamento e participe!



Pedi a Deus que me emprestasse um filho...



"O meu nome é Maria Lúcia, tenho 34 anos e fui tentante de Fiv. 

Tudo começou há 12 anos atrás quando eu e meu esposo, Warnnem P. Lopes, decidimos parar com o anticoncepcional no mês de março de 2002. Procurei minha ginecologista para algumas orientações, pois eu queria estar super bem para conceber meu filho (sempre foi um sonho nosso). Então, no ano de 2002, começamos a nossa preparação e escolhemos o mês de março pensando que, engravidando nessa altura, o nosso filho nasceria em 2003 (uma vez que nós ainda estudávamos).



Bom, o ano se passou e nada de gravidez! Na época em questão, eu tinha 22 anos e todos os exames estavam normais (tanto os meus quanto os do meu esposo). Em dezembro de 2002 suspeitei estar grávida, pois a minha menstruação atrasou (e meu ciclo é de 28 dias; bem regular!). Fiz um teste de farmácia que deu negativo! Dias depois, a menstruação acabou por descer normalmente. Mas, para minha surpresa, duas semanas depois ela voltou de dois em dois dias. A minha barriga estava inchada mas eu não sentia nada. Essa situação durou uns dias até que uma manhã acordei 
com fortes dores na barriga e fui para clinica fazer uma ultra- sonografia. Esta acusou presença de líquido no abdômen, útero aumentado e ovário direito com cisto! Muito assustada, liguei para minha ginecologista e ela me examinou também. Eu já tinha sido medicada até então para uma infecção; não entendíamos o porquê da situação se todos os meus exames estavam em dia e não tinham acusado nada!


Uma mulher que lutou 10 anos para engravidar e que para concretizar o sonho de ser mãe teve que recorrer a uma FIV.Acabei tendo uma hemorragia que me provocou dores muito fortes e fui internada. Fiz outra ultra e o médico suspeitou de uma gestação… O cirurgião que consultei de seguida, avisou-me que eu teria que ser operada o mais rapidamente possível, pois eu estava com muito sangue no abdómen. E assim foi! O médico relatou para meu esposo que eu estava com uma gravidez tubária do lado esquerdo, cisto no ovário direito e útero aumentado de volume. 

Seis meses depois foi confirmada minha 2º gravidez TUBÁRIA!!! Ou seja, exatamente seis meses depois, passei por tudo novamente e vi meu sonho indo embora! Não conseguia entender bem! 

Foi nessa altura que soube que para ser mãe teria que fazer uma FIV (fertilização in vitro). Demorou um pouco para eu conseguir aceitar essa ideia! Era um tratamento tão caro e eu moro fora dos grandes centros, por isso, eu achava tudo complicado! Mas em vez de cruzar os braços e ficar lamentando fui atrás! Pesquisei tudo sobre o assunto; eu e meu esposo decidimos que a fundação ABC seria o melhor local para realizar nossa primeira FIV

Tratamento em andamento: 8 óvulos, 4 embriões implantados… No auge dos meus 23 anos não teria porque não dar certo! Tudo correu super bem…12 dias depois, para nossa surpresa, o resultado foi NEGATIVO! Não entendíamos porque não tinha dado certo. O nosso sonho foi, assim, mais uma vez adiado!

E lá vamos nós: se reestruturando, pagando dívidas para tentarmos mais uma vez! Em Maio de 2009 voltamos à fundação ABC para refazer todos os exames e dar inicio a mais uma tentativa, dessa vez com a Dr.ª Simone Tiemi! Tudo correu super bem e no dia 12 de junho implantamos 2 embriões (perfeitos, como disse a médica) e congelamos outros 2! Mais uma vez, esperamos os 12 dias mais longos de nossas vidas e para, nossa surpresa, tivemos mais um NEGATIVO! O desespero nessa hora toma conta de nós! Um medo sem explicação! Mas encontrámos forças e voltámos à clínica para preparar o endométrio, fazer ultras e mais ultras… 

Chega o dia de implantar os outros 2 embriões! Fiquei mega nervosa! A Dr.ª Simone Tiemi implantou os embriões e me mostrou as 2 faixinhas de luz mais lindas da minha vida! Fiquei mega emocionada e nessa hora eu pedi para DEUS me emprestar um filho  (e não para me dar um) pois eu queria saber o que era ser mãe.

Enfim mais 12 dias se passaram e lá estava eu com um resultado de BETA HCG na mão… eu nem vi que o resultado era POSITIVO! Nossa! Foi um alívio, uma vitória: poder agradecer a DEUS e a todos que torceram por mim! Eu nem acreditava! Fui mãe aos 32 anos de idade…passei meu aniversário grávida e tudo foi perfeito! DEUS escreveu minha história, até o nascimento do meu filho em 26/04/2010! Conhece- lo, vê-lo gritar para o mundo pela primeira vez foi um alívio! É o meu presente de DEUS!! 

Ele se chama AYRAM, nome escolhido pelo pai WARNNEM que foi sempre um excelente marido! Esteve e está presente em todos os momentos de nossas vidas. 

Como sei que a FIV é um processo complicado para as tentantes, surgiu a ideia de criar um grupo de apoio no facebook a que chamei 'Fiv, presente de Deus’, em homenagem ao meu filho Ayram, que foi o meu presente!

Ass. Ayram, Lucia e Warnem"

Deixe uma mensagem à Maria Lúcia nos comentários!


Seja a próxima leitora a ver a sua história publicada e inspire milhares de mulheres todos dos dias! Veja aqui como participar: Rubrica "Um caso de Sucesso"

Você já curtiu o Ficargravida.com no Facebook?
LER O ARTIGO COMPLETO ►

5 Mitos sobre infertilidade masculina

A Infertilidade Masculina é um assunto sobre o qual ainda existem muitas dúvidas e mitos associados.
Há poucos dias, fizemos uma entrevista ao Dr. Rogério Leão e muitas dúvidas ficaram esclarecidas.
Recomendamos a leitura de:
Entrevista ao Dr. Rogério Leão sobre Infertilidade Masculina 

Hoje, vamos deitar por terra 5 mitos associados a infertilidade masculina!!

Crença nº 1: Fertilidade e virilidade estão ligados. MENTIRA

Muitos homens (e mulheres também) associam o conceito de infertilidade à impotência, o que é absolutamente falso. Infertilidade não tem nada a ver com virilidade! 
Essa é uma das razões porque ainda é difícil convencer  um homem a fazer um espermograma, por exemplo, ou mesmo a fazer uma consulta com um especialista em infertilidade.
Também é importante que os homens percebam que, no Brasil,  a infertilidade atinge 1 em cada 5 casais. É um problema bastante comum!

Crença nº2: Se o homem já tem filhos então o problema é com a mulher. MENTIRA

Mesmo que o homem já tenha filhos de relações anteriores, ele pode ter desenvolvido, entretanto, algum problema que o impeça de conseguir produzir espermatozóides saudáveis. O problema podia até já existir anteriormente mas num estádio menos grave e não ter interferido, na altura, com a sua capacidade reprodutiva. Por isso, quando o casal está com problemas para conseguir engravidar, ambos devem fazer testes de fertilidade para despistar possíveis problemas.

Crença nº 3: Existem mais mulheres inférteis do que homens. MENTIRA

Na verdade, a percentagem de mulheres e homens inférteis é exatamente igual! Por isso é que tantos especialistas contestam o facto de ser apenas a mulher a ser chamada a fazer testes de fertilidade (por vezes muitos invasivos) sem sequer considerarem testar o casal.

Crença nº 4: Consultar um especialista é sempre caro. MENTIRA

Na verdade a consulta não é cara. O que pode ser caro são os tratamentos que vão ser necessários posteriormente. Mas isso vai depender do tratamento escolhido/necessário! Há tratamentos que não são caros, outros que, efetivamente, são. Mas lembrem-se que podem sempre recorrer a um hospital público!
O que é importante é fazer a consulta com um especilaista em infertilidade e tentar conseguir um diagnóstico para o problema do casal, isto é, perceber exatamente porque é que não conseguem engravidar. Identificado o problema, poderão conseguir as respostas de que estavam à procura.

Crença nº 5: A Idade do homem não interfere na sua capacidade reprodutiva. MENTIRA

É certo e sabido que a idade da mulher interfere muito na sua capacidade de conceber um filho. A partir dos 35 anos, a qualidade dos seus óvulos decai. Mas quase todo  o mundo pensa que a idade não interfere na capacidade reprodutiva do homem. Isso não é verdade!
A questão é que essa perda de capacidade não é tão marcante como na mulher porque ela não é definitiva; apenas diminui! Mas existe uma relação entre a idade do homem e as suas capacidades para conceber um filho.

Sugerimos a leitura de :

Você já curtiu o Ficargravida.com no Facebook?
LER O ARTIGO COMPLETO ►